PRESIDENTE TEMER DIALOGA COM BASE ALIADA PARA TENTAR APROVAR REFORMAS

Presidente Temer se reúne com parlamentares da base na Alvorada para pedir apoio na aprovação de reformas da previdência 

 

O presidente Michel Temer se reuniu com a base aliada do Congresso na manhã desta quarta (13) para pedir apoio na aprovação das reformas do governo. Pelo menos 15 ministros também estiveram presentes no encontro.

 

A reunião aconteceu na residência oficial do Palácio da Alvorada e contou com café da manhã para a base do presidente. A assessoria da Presidência não divulgou a pauta do evento. De acordo com ministros e parlamentares presentes, o encontro foi realizado para reorganizar a base aliada e pedir apoio para a votação das reformas.

 

Também foi apresentado pelo presidente dados sobre a economia do país a fim de alinhar o discurso em defesa de sua agenda econômica.
  1. Reforma política: Congresso retomará discussão nesta semana
  2. Geddel Vieira Lima passa senhas erradas para a Polícia Federal
  3. Contratações da União em 2017 foram superiores às demissões

[ads1]

reformas

O principal objetivo no plano econômico é a continuação da aprovação das reformas. Além da trabalhista, já aprovada, o governo pretende fortalecer sua base aliada para aprovar alterações na previdência e na legislação tributária.

 

Segundo o ministro dos Transportes, Maurício Quintela, a reforma tributária deve ser votada primeiro por ser menos polêmica. Após isso, o ministro afirmou que é necessário voltar a discutir as mudanças na previdência, mesmo com a resistência dos parlamentares devido à proximidade com as eleições.

 

defesa do governo

No encontro, o presidente também ressaltou a importância de a base aliada fazer a defesa do governo. Segundo ele, é necessário que os aliados façam um “discurso de rebate” às críticas enfrentadas, sem passividade.

 

O Presidente  Temer quer que os dados considerados positivos da economia sejam apresentados como forma de contraponto aos ataques que sua gestão enfrenta.

 

denúncia de Janot

Há grande expectativa em Brasília que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, encaminhe ao Congresso a segunda denúncia criminal contra Temer nesta semana. Apesar de os políticos aliados afirmarem que o tema não foi debatido, o encontro de Michel com seus aliados tem objetivo de fortalecer a base para barrar a denúncia na Câmara, assim como aconteceu com a primeira.

 

Sobre o assunto, Temer afirmou que o país não pode ficar paralisado devido a questões que envolvem o Judiciário, em referência às acusações que o governo enfrenta.

 

A possível denúncia de Janot vem em uma semana em que o presidente foi citado pela investigação da Polícia Federal como membro de uma “organização criminosa” e se tornou alvo de inquérito pelo STF. Além disso, trechos da delação de Lúcio Funaro divulgados pela imprensa já atingem o chefe do Executivo.

[ads2]