Tendências de tecnologia para medicina em 2019

Telerradiologia, inteligência artificial, Big Data: conheça e essas outras tecnologias usadas na saúde


Há séculos a tecnologia tem possibilitado a transformação e aprimoramento da medicina com novos recursos e soluções que viabilizam um cuidado mais adequado que se reflete em melhores tratamentos e mais chances para o paciente.
Nos últimos anos houve um imenso crescimento das aplicações tecnológicas em todas as áreas, impactando também o setor de saúde que obteve diversos benefícios e melhorias.
Um exemplo é que, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 1960, a expectativa de vida dos brasileiros era de 48 anos, enquanto atualmente é de 75 anos. Portanto, em quase 60 anos foi possível aumentar a média de vida em 27 anos.
Esse dado mostra a influência de fatores sociais e econômicos, mas é importante destacar que a tecnologia também contribui para essa melhora. Veja a seguir como historicamente esses elementos estão associados e quais as tendências para 2019.


História da tecnologia aplicada à medicina


Um dos primeiros avanços tecnológicos que impactou enormemente a medicina foi a invenção da lupa no ano de 1250 e após séculos de obscurantismo na ciência, o advento seguinte foi o cateter flexível, em 1752 e de então até o século XX foram seis avanços significativos, incluindo o raio-x em 1895.
Já o século XX foi repleto de novidades que trouxeram vários avanços para a área médica, como o eletrocardiograma (1903), a insulina (1922), marcapasso (1936), ressonância magnética (1952), transplante de fígado (1963), inseminação artificial (1978), cirurgia robótica (1985), clonagem (1996) e até genoma humano no último ano do século, 2000.
Iniciando o novo século os avanços tecnológicos aplicados à saúde não pararam e nesses poucos anos já foi possível ver diversos progressos, como prótese de joelho (2004), fígado artificial (2006), coração artificial (2013), pâncreas artificial (2015) e braço robótico (2015).
Esses são apenas os avanços mais significativos da medicina, sem considerar as transformações mais básicas, mas que impactam a vida e tratamento dos pacientes e profissionais da saúde.
Dessa forma, podemos observar que a medicina está diretamente relacionada com a tecnologia, visto que os progressos da área são decorrentes de novos recursos que a pesquisa científica encontra.


Quais as tendências de uso da tecnologia na medicina atualmente?


Além de conhecer como a tecnologia influenciou o desenvolvimento da medicina nos últimos séculos, é importante atentar-se ao que tem sido feito atualmente.
De acordo com a Aliança Brasileira da Indústria Inovadora em Saúde (ABIIS), atualmente são usadas mais de 500 mil diferentes tecnologias médicas que vão desde exames laboratoriais até o tratamento de câncer usando a biologia molecular.
Dado ao extensivo uso da tecnologia na área médica, veja a seguir três tendências para a saúde em 2019.


Personalização


Segundo a Pesquisa sobre o Uso das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) no Brasil, realizada pelo Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (Cetic), 91% dos hospitais no Brasil têm acesso à internet.
Além disso, um levantamento da Accenture mostra que 61% dos profissionais da saúde no Brasil usam ferramentas de TI para acompanhamento dos pacientes e otimização do tempo da consulta e 38% utilizam procedimentos eletrônicos na gestão hospitalar.
Esses recursos têm contribuído para melhorar a personalização do atendimento médico, seja em consultas ou tratamentos. Essa característica está relacionada também com a humanização do atendimento, demanda essencial na área médica.
A integração das informações permite que o paciente beneficie-se dessa melhoria, com mais agilidade, personalização e humanização do atendimento.


Big Data e inteligência artificial


Junto com o maior acesso à internet, as clínicas e hospitais também incorporam soluções de tecnologia da informação (TI) para melhorar a qualidade do atendimento e diagnóstico oferecido aos pacientes.
Um exemplo é o uso de algoritmos de inteligência artificial para análise de exames de imagem permitindo identificar alterações mínimas e facilitar o diagnóstico de condições raras e também o diagnóstico precoce das patologias, como no caso de tumores que dificilmente seriam percebidos.
Já o Big Data tem sido usado com o objetivo de melhorar as pesquisas científicas da área médica, uma vez que facilita a sistematização e análise de dados em grandes quantidades, viabilizando um estudo mais detalhado de casos clínicos que contribuem para identificar convergências em diferentes estudos.


Telemedicina


Outra tendência da medicina para 2019 que tem ganhado mais expressividade devido aos avanços tecnológicos é a telemedicina, área pela qual diversos serviços médicos podem ser prestados a distância e com ajuda da tecnologia.
Entre eles está a realização de consultas clínicas, formação educacional e treinamento aos profissionais de saúde, troca de informação entre médicos e também análise de exames, como os de imagem.
Esse último recurso é chamado de telerradiologia e consiste na terceirização, para empresas especializadas, da análise de exames de imagem, como raio-x, ressonância magnética, tomografia, densitometria óssea e outros.
Entre os benefícios dessa prática destacam-se a qualidade dos laudos médicos, a eficiência e agilidade na entrega das análises, o maior acesso a profissionais especializados e os menores custos na área de radiologia, expandindo o acesso.
Assim como outros progressos tecnológicos aplicados à medicina, a telerradiologia, personalização, Big Data e inteligência artificial têm como objetivos melhorar a qualidade dos serviços prestados, aumentar as chances de tratamento, humanizar o atendimento e universalizar o acesso à medicina.

Deixe uma resposta