Ovo é mocinho ou vilão da saúde?

Ovo é mocinho ou vilão da saúde?

O ovo é muito discutido pelos médicos e nutricionistas pelo mundo a fora.

As opiniões muito se divergem ao falar sobre o assunto. São várias pesquisa de diferentes universidades para analisar se o ovo é o mocinho ou o vilão da saúde humana.

Para muitos o ovo é a refeição perfeita, os ovos estão na lista de candidatos perfeito à mesa de muitas pessoas.

Eles são fáceis de encontrar, fáceis de cozinhar, baratos e repletos de proteínas. Não podemos negar que o ovo é o mais popular na mesa das famílias.

“O ovo tem todos os ingredientes certos para o crescimento de um organismo, por isso é obviamente muito rico em nutrientes”, diz Christopher Blesso, professor de Ciências Nutricionais da Universidade de Connecticut, nos Estados Unidos.

Comer ovos junto com outros alimentos também pode ajudar nosso corpo a absorver mais vitaminas. Por exemplo, um estudo afirma que adicionar um ovo a uma salada pode aumentar a quantidade de vitamina E que obtemos desse prato.

Mas comer ou não ovos tem sido uma questão controversa por décadas, pois eles são ricos em colesterol , que vários estudos relacionaram a um risco aumentado de doenças cardíacas.

Uma gema de ovo contém cerca de 185 miligramas de colesterol, que é mais da metade da quantidade diária de colesterol (300 mg) que as diretrizes alimentares dos Estados Unidos recomendavam até recentemente.

Isso significa que os ovos, em vez de serem um alimento ideal, podem realmente estar nos prejudicando?

O dilema do colesterol

O colesterol está presente em produtos de origem animal, como carne vermelha e ovos

O colesterol está presente em produtos de origem animal, como carne vermelha e ovos

O colesterol, uma gordura amarelada produzida em nosso fígado e intestinos, pode ser encontrado em todas as células de nosso corpo.

Normalmente consideramos isso “ruim”.

Mas o colesterol é um componente fundamental em nossas membranas celulares. Também é necessário que o corpo produza vitamina D e os hormônios testosterona e estrogênio.

Produzimos todo o colesterol de que precisamos, mas ele também é encontrado nos produtos de origem animal que comemos, incluindo carne, camarão e ovos, bem como queijo e manteiga.

O colesterol é transportado pelo corpo por moléculas de lipoproteínas no sangue.

Cada pessoa tem uma combinação diferente de vários tipos de lipoproteínas, e nossa composição individual desempenha um papel na determinação de nosso risco de desenvolver doenças cardíacas.

O colesterol de lipoproteína de baixa densidade (LDL), denominado colesterol “ruim”, é transportado do fígado para as artérias e tecidos do corpo.

Os pesquisadores dizem que isso pode levar ao acúmulo de colesterol nos vasos sanguíneos e aumentar o risco de doenças cardiovasculares.

O colesterol está presente em produtos de origem animal, como carne vermelha e ovos

O colesterol está presente em produtos de origem animal, como carne vermelha e ovos

Por isso, a autoridade de saúde do Reino Unido (NHS) lembra que o alto teor de colesterol no sangue aumenta o risco de doença coronariana.

Mas ele enfatiza que a quantidade de gordura saturada que comemos tem mais efeito sobre o nível de colesterol no sangue do que o colesterol dos ovos.

Os alimentos que contêm gorduras trans, em particular, aumentam nossos níveis de LDL.

Embora algumas gorduras trans ocorram naturalmente em produtos de origem animal, a maioria é feita artificialmente e é encontrada em níveis mais elevados em margarinas, salgadinhos e alguns alimentos fritos e assados, como bolos e donuts.

O órgão regulador

“Se o seu médico de família ou profissional de saúde lhe disse para monitorar seu nível de colesterol, sua prioridade deveria ser eliminar a gordura saturada de sua dieta”, leia a página do NHS.

“Se você mantiver uma dieta balanceada, só deve eliminar os ovos se o médico o instruir a fazê-lo .”

Junto com o camarão, os ovos são o único alimento rico em colesterol e pobre em gordura saturada.

“Embora o colesterol nos ovos seja muito mais alto do que na carne e em outros produtos de origem animal, as gorduras saturadas aumentam o colesterol no sangue. Isso foi demonstrado por muitos estudos ao longo dos anos”, disse María Luz Fernández, professora de Ciências Nutricionais da Universidade de Connecticut , nos Estados Unidos.

Sua última pesquisa não encontrou nenhuma ligação entre comer ovos e um aumento do risco de doenças cardiovasculares.

O colesterol é prejudicial quando é oxidado, mas os antioxidantes dos ovos evitam que esse processo ocorra.

O colesterol é prejudicial quando é oxidado, mas os antioxidantes dos ovos evitam que esse processo ocorra.

A discussão sobre os efeitos dos ovos na saúde mudou em parte porque nossos corpos podem compensar o colesterol que consumimos.

Em uma revisão de 40 estudos em 2015, pesquisadores da Tufts University em Boston, EUA, não conseguiram encontrar nenhuma evidência conclusiva sobre a ligação entre o colesterol alimentar e as doenças cardíacas.

“Os humanos têm uma boa regulação quando consomem colesterol na dieta e produzem menos colesterol por conta própria”, diz Elizabeth Johnson, professora pesquisadora de Ciências da Nutrição daquela universidade.

Benefícios do colesterol

E quando se trata de ovos, o colesterol pode representar um risco ainda menor para a saúde.

O colesterol é mais prejudicial quando é oxidado em nossas artérias, mas não é algo que acontece com o colesterol dos ovos, diz Blesso.

“Quando o colesterol é oxidado, ele pode ser inflamatório, e existem todos os tipos de antioxidantes nos ovos que o protegem da oxidação”, diz ele.

Além disso, um pouco de colesterol pode ser bom para nós.

O colesterol da lipoproteína de alta densidade (HDL) viaja para o fígado, onde é decomposto e removido do corpo.

Um estudo descobriu que consumir meio ovo adicional por dia estava relacionado a um risco aumentado de doenças cardíacas …

Um estudo descobriu que consumir meio ovo adicional por dia estava relacionado a um risco aumentado de doenças cardíacas …

Acredita-se que o HDL tenha um efeito protetor contra doenças cardiovasculares ao impedir que o colesterol se acumule no sangue.

“As pessoas devem se preocupar com o colesterol que circula no sangue, que é o que leva às doenças cardíacas”, diz Fernández.

O que importa é a proporção de HDL para LDL em nossos corpos, pois o HDL elevado neutraliza os efeitos do LDL.

No entanto, enquanto a maioria de nós é capaz de tamponar o colesterol que consumimos com o colesterol que é decomposto em nosso fígado, Blesso diz que cerca de um terço das pessoas experimentará um aumento no colesterol no sangue de 10-15% após consumi-lo.

Os ensaios clínicos revelaram que pessoas magras e saudáveis ​​têm mais probabilidade de ver um aumento no LDL após comer ovos.

E aqueles que estão com sobrepeso, obesos ou diabéticos podem ver um aumento menor no LDL e mais moléculas de HDL, diz Blesso.

Portanto, se você for uma pessoa saudável, os ovos podem ter um efeito mais negativo do que se você estiver acima do peso.

Mas também se você é saudável, é mais provável que tenha bons níveis de HDL, portanto, um aumento no LDL não seria muito prejudicial.

Contradições

… Mas outros estudos descobriram que os ovos estão associados a um menor risco de doenças cardíacas

… Mas outros estudos descobriram que os ovos estão associados a um menor risco de doenças cardíacas

Uma pesquisa publicada no início deste ano desafia o consenso recente de que os ovos não causam danos à nossa saúde.

Observando dados de 30.000 adultos por uma média de 17 anos, os pesquisadores descobriram que cada meio ovo adicional por dia ingerido estava significativamente associado a um risco aumentado de doenças cardíacas e morte.

O estudo monitorou os padrões de dieta, saúde geral e atividade física dos pacientes para tentar isolar os efeitos dos ovos.

“Descobrimos que para cada 300 mg de colesterol adicional que uma pessoa ingeria, independentemente dos alimentos de onde vinham, ela apresentava um risco 17% maior de doenças cardiovasculares e um risco 18% maior de mortalidade por todas as causas”, diz Norrina Allen, um dos autores do estudo é professor de medicina preventiva na Northwestern University em Illinois, EUA.

“Também descobrimos que para cada meio ovo por dia, havia um risco 6% maior de doenças cardíacas e um risco 8% maior de mortalidade.”

Embora o estudo seja um dos maiores do tipo a abordar essa relação específica entre ovos e doenças cardíacas, foi um trabalho observacional, sem indicação de causa e efeito.

Foi baseado em um único conjunto de dados fornecido pelos pacientes: Os participantes foram questionados sobre o que comeram durante o mês ou ano anterior e, em seguida, acompanharam seus resultados de saúde por até 31 anos.

Existem inúmeras contradições em como os ovos afetam a saúde

Existem inúmeras contradições em como os ovos afetam a saúde

Isso significa que os pesquisadores só obtiveram uma imagem estática do que os participantes estavam comendo, embora as dietas possam mudar com o tempo.

E o estudo contradiz resultados anteriores de outras pesquisas, sugerindo que os ovos são bons para a saúde do coração.

Uma análise anterior de meio milhão de adultos na China, publicada em 2018, descobriu exatamente o oposto: o consumo de ovos estava associado a um menor risco de doenças cardíacas.

Aqueles que comeram ovos todos os dias tiveram um risco 18% menor de morte por doenças cardíacas e um risco 28% menor de morte por derrame em comparação com aqueles que não comeram ovos.

Como o estudo anterior, este também foi observacional, o que significa que causa e efeito são impossíveis de decifrar. (Os adultos na China são mais saudáveis ​​porque comem mais ovos ou os ovos os tornam mais saudáveis?)

Benefícios do ovo

A colina, encontrada nos ovos, pode nos proteger da doença de Alzheimer

A colina, encontrada nos ovos, pode nos proteger da doença de Alzheimer

Embora esses estudos reacendam o debate sobre o impacto do colesterol dos ovos em nossa saúde, sabemos que os ovos podem nos afetar por outros motivos.

Os ovos têm um composto chamado colina que pode ajudar a nos proteger contra a doença de Alzheimer. Também protege o fígado.

Embora também possa ter efeitos negativos.

A colina é metabolizada pela flora (microbiota intestinal) em uma molécula chamada TMO, que é então absorvida no fígado e convertida em TMAO, uma molécula associada a um risco aumentado de doença cardiovascular.

O professor Blesso questionou se comer muita colina dos ovos poderia levar a elevações no TMAO e encontrou estudos em que as pessoas observaram níveis elevados de TMAO até 12 horas após comerem ovos.

Pesquisas que mediram o consumo de ovos e TMAO até agora encontraram apenas aumentos transitórios de TMAO. No entanto, o TMAO é medido como um marcador de doença cardíaca apenas no nível básico, que pode ser detectado quando as pessoas estão em jejum.

Blesso compara isso ao modo como nossos níveis de açúcar no sangue aumentam temporariamente após a ingestão de carboidratos, mas os níveis elevados de açúcar no sangue só estão associados ao diabetes quando esses níveis são contínuos.

A gema do ovo é uma excelente fonte de luteína, associada a benefícios para os olhos.

A gema do ovo é uma excelente fonte de luteína, associada a benefícios para os olhos.

Isso pode ser porque, quando comemos ovos, só podemos obter os efeitos benéficos da colina, diz ele.

“O problema é quando, em vez de ser absorvida pelo sangue, a colina segue para o intestino grosso, onde pode se transformar em TMA e depois em TMAO”, diz Fernández.

“Mas nos ovos, a colina é absorvida e não vai para o intestino grosso, por isso não aumenta o risco de doenças cardíacas.”

Enquanto isso, os cientistas estão começando a entender outros benefícios dos ovos para a saúde.

A gema do ovo é uma das melhores fontes de luteína, um pigmento que está associado a uma melhor visão e menor risco de doenças oculares, por exemplo.

“Existem dois tipos de luteína encontrados na retina do olho, onde pode protegê-la dos danos da luz, atuando como um filtro para a luz azul”, diz Johnson.

Embora os pesquisadores estejam muito longe de entender por que os ovos nos afetam de maneira diferente, a grande maioria das pesquisas recentes sugere que eles não representam risco para a nossa saúde e são mais propensos a trazer benefícios à saúde.

Ainda assim, comer ovos no café da manhã todos os dias provavelmente também não é a opção mais saudável.

Se a recomendação é que tenhamos uma alimentação variada, é melhor não colocar todos os ovos na mesma cesta.

É melhor não colocar os ovos na mesma cesta …

É melhor não colocar os ovos na mesma cesta

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*