A origem das superstições que muitos desconhecem

Você tem alguma superstição? Superstição são crendices populares sem explicação científica, baseada em lendas sem fundamento teórico. São falsas ideias que desafiam a razão e o conhecimento, levando as pessoas a acreditarem, temerem ou confiarem em presságios ou sinais, que muitas vezes são obras do acaso ou coincidência. Muitas pessoas levam a sério algumas superstições ao ponto de limitar sua vida a essas crenças.

O cantor Roberto Carlos, por exemplo, é o supersticioso mais conhecido do Brasil. Ele tem várias superstições muito significativas que influenciam sua carreira, como não cantar músicas com palavras negativas. Em sua biografia não autorizada existe um relato de que hoje ele não canta mais a música: “Quero que tudo vá para o inferno”, devido à palavra “inferno”, que ele se recusa a pronunciar.

Outras superstições de Roberto Carlos são bem conhecidas de muitas pessoas, que às vezes as praticam sem saber por que. Uma delas é não passar em baixo de uma escada, outra é sair pela mesma porta que entrou e a mais popular de todas: evitar o número 13. Com certeza você já “bateu na madeira” quando não quer que algo ruim aconteça. Muitas pessoas não sabem a origem dessa e de outras superstições, por isso conheça agora alguns significados.

O lado esquerdo

Considera-se algo positivo o fato do coração estar localizado no lado esquerdo. Por isso tudo que se relaciona a esse lado é motivo de sorte e bons presságios. Por exemplo, entrar em algum lugar com o pé esquerdo, sentir um zumbido na orelha esquerda, tudo isso significa coisas boas.

Dia 13

Essa crença surgiu de histórias contadas nos países nórdicos. A lenda conta que foi servido um banquete para 12 pessoas em Valhalla, morada dos deuses. Mas, Loxi conhecido como um espírito maléfico apareceu de repente e começou uma briga que levou a morte de Balder, o mais querido dos deuses. Por Loxi ter sido o 13° convidado do jantar e protagonizado uma tragédia, o número virou símbolo de má sorte.

Ferradura

Na Grécia Antiga, a ferradura era considerada um amuleto de sorte e de grande poder. Por esse objeto ser feito de ferro era considerado uma barreira de proteção contra o mal. Além disso, seu feitio se parece com uma lua em fase crescente, que para os gregos significava fertilidade e prosperidade.

Bater na madeira

Essa superstição é milenar e está ligada à crença de que os deuses atendiam pedidos quando as árvores eram tocadas. A ideia era que nas árvores moravam os deuses, assim quando o povo pagão se sentia culpado ou queria atrair bons presságios, batiam no tronco da árvore para atrair as divindades e pedir ajuda ou perdão. Já os sacerdotes tinham um costume semelhante, pois batiam na madeira para espantar maus espíritos.

Escadas

Na Europa Medieval uma ponte era erguida para impedir a entrada de invasores no castelo. Assim, a única maneira de entrar seria pelas escadas. Os soldados defendiam o castelo jogando óleo nos degraus das escadas para derrubar os invasores. Aqueles que seguravam nas escadas, eram banhados mortalmente. Por isso, até hoje, segurar ou passar embaixo de uma escada significa mau agouro.

Deixe um comentário