OMS anuncia vaciana contra Zika Vírus

Mosquito Aeds aegypti

A Organização Mundial de Saúde, divulgou nesta sexta-feira, (12) que os testes clínicos da vacina para combater o Zika Vírus iniciará em 18 meses. Mesmo diante do agravamento da  situação, os testes em larga escala não ocorrem antes disso.

Anteriormente o ministro da saúde Marcelo Castro, havia se pronunciado dando prazo de até três anos, para que a vacina chegue ao mercado. O pronunciamento foi visto como uma imprudência, pois, por mais que se tenha recursos e ofertas promissoras, além do empenho das equipes do mundo inteiro, a trajetória até a liberação do medicamento para o comércio é longa. Afinal um protocolo desse tipo pode ou não ser bem sucedido.

Estudos de uma universidade brasileira, de renome, é um exemplo disso. Um grupo de pesquisadores estavam desenvolvendo um tratamento contra a dengue com  previsão de um ano para  que os testes fossem realizados em humanos, porém ao iniciá-los em macacos, o resultado foi contrário. Ao invés de diminuir a presença do vírus no sangue, fez foi aumentar  fazendo com que os estudos voltassem ao ponto inicial.

Para desenvolver uma vacina, é necessário passar por várias etapas até chegar num ponto, em que o efeito consiga  estimular o sistema imunológico, afin de que o mesmo reconheça a presença do vírus e passe a produzir anticorpos capazes de combater a doença e seu desenvolvimento. Os números mostram que durante a fase experimental, 90% das substâncias testadas são descartadas por ineficácia  ou atém mesmo por não fornecer segurança necessária.

O processo de produção, envolve três etapas principais, que são testadas em diferentes parâmetros, eficácia, efeito adverso, segurança e tolerança, realizados em diferentes grupos. Isso pode levar até 12 anos para alcançar o objetivo final.

Houve o caso do desenvolvimento da vacina contra o ebola,  em que  se chegou a um resultado com prazo recorde de 1 ano e meio, após o anúncio da epidemia, o que é considerado uma exceção, porém,  a mesma ainda está em estudo. Embora tenha apresentado uma eficácia de 100%, estudos ainda testam se ela é capaz de gerar imunidade de grupo.

Entenda o processo de produção de uma vacina

Ao iniciar o processo de desenvolvimento de uma vacina, pesquisadores realizam diversas etapas até atingir o objetivo principal. A primeira fase é denominada pré clinica. Nesta são realizados testes em animais como roedores e ou macacos, se for identificado que a mesma é toxica, ou se não funcionar não há continuidade.

No caso de resultados positivo incia a fase um, nesta o teste é realizado em humanos saudáveis, com objetivo de identificar a segurança da mesma. Logo após inicia a fase dois, onde é analisada a funcionalidade, para esta o número de voluntários, a serem tesados, é baixo em torno de 100. A terceira fase são testados milhares de voluntários, para saber se a vacina consegue prevenir a  infecção. Após passar por todas estas etapas, a vacina chega a fase clínica, onde recebe licença para produção e comercialização e também pode ser distribuída gratuitamente.