Não consigo emagrecer. O que faço?

“Faço tudo certinho”, “me exercito sempre”, “passo até fome, mas não emagreço”. Essas são frases que alguns de vocês sempre saem por aí falando. Se nada dar certo, alguma coisa você deve estar fazendo de errado. Seja na alimentação, no tipo de exercício ou, até mesmo, nas suas relações interpessoais. Vamos, então, trazer alguns tópicos que você pode se familiarizar e começar a consertar.

  1. Docinho meu de todo dia

Acontece com muitos um súbito desejo de comer um docinho depois do almoço ou no final da tarde. Ok, um docinho uma vez ou outra não vai te engordar, pois o ganho de peso é multifatorial. Mas se todos os dias que bater essa vontade e você ir lá e comer, com certeza isso irá influenciar na balança, mesmo que durante todo o restante do dia você coma direitinho, no horário e quantidade adequada. Então vale lembrar que essa “vez ou outra” do docinho deve ser mantida assim: muito raramente.

  1. Tipo de exercício

Com certeza o tipo de exercício irá influenciar da perda de gordura. Exercícios aeróbicos são os mais recomendados para quem quer perder peso, pois são treinos que exigem mais da corrente sanguínea e da coordenação de movimentos, por isso a perda de gordura localizada é bem mais eficaz. Exercícios de força e resistência irão trabalhar seus músculos e ajudá-los na hipertrofia, por esse motivo é interessante combiná-los. Seu educador físico com certeza irá lhe auxiliar na escolha do melhor exercício para você.

  1. Dieta da moda

Nem sempre o que funciona para um famoso ou para sua amiga, funcionará para você. Portanto, cortar o glúten, cortar frutas, comer somente proteínas e gorduras ou comer somente sucos nem sempre é a melhor opção. O primeiro passo para seguir uma dieta é procurar um nutricionista que irá elaborar um planejamento nutricional específico para você e suas necessidades. Em outro artigo falamos muito mais sobre dietas da moda, que você pode acessar aqui.

 

  1. Problemas psicológicos

“Cortou o glúten, a lactose, fritura, mas esqueceu de cortar as companhias e pensamentos negativos. Continuou pesado” Vitor Fernandes.

As pessoas costumam se esquecer de como o corpo e a mente trabalham e evoluem lado a lado. Por isso, problemas com família, com o trabalho, amigos negativos, casamento, fracassos, frustrações estão sim intimamente associados com a sua alimentação.

Geralmente, problemas como esse vêm acompanhados de distúrbios e compulsões alimentares. Portanto, se você quer diminuir o peso na balança procure, primeiro, diminuir o peso em sua mente.

  1. Foco e determinação

Sair da zona de conforto nunca é fácil. Seja para acordar mais cedo, lavar a louça antes de dormir, aprender outro idioma ou ter uma vida mais saudável. O comodismo é o caminho mais tranquilo (por um tempo).

Acostumar o seu corpo e sua mente à alimentos não tão “saborosos” e à prática regular de exercícios não é uma tarefa simples muito menos tranquila. Portanto, a dose e foco e determinação deve ser diária. Não espere do seu nutricionista, educador físico, mãe, namorado ou amiga. Ela vem de você mesmo.

Deixe um comentário