Mega Operação da Polícia Federal desmascara grandes empresas como BRF e Grupo JBS

 

A Polícia Federal cumpriu na manhã da última sexta-feira (17), mais de 300 mandados judiciais em seis diferentes estados brasileiros, além do Distrito Federal, numa mega operação intitulada de “Carne Fraca”. Cerca de 1.100 policiais cumprem os mandados que tem 27 pedidos de prisão preventiva e 11 de prisão temporária.

A Polícia Federal cumpriu na manhã d a última sexta-feira (17), mais de 300 mandados judiciais em seis diferentes estados brasileiros, além do Distrito Federal, numa mega operação intitulada de “Carne Fraca”.

A operação tem objetivo de apurar o envolvimento de membros da fiscalização do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, com esquema de liberação das licenças em benefício de grandes frigoríficos em troca e propina.
De acordo com a investigação, fiscais do Ministério estariam recebendo propina para liberar licenças dos frigoríficos em benefícios dos partidos do PMDB e do PP. Com isso a qualidade dos produtos oferecidos ao consumidor ficou bastante comprometida, podendo até causar danos à saúde humana.
Uma das irregularidades constata durante as investigações é a fabricação de linguiça com carne de cabeça de porco, o que é proibido por lei.
Grandes empresas estão envolvidas no esquema entre elas a BRF Brasil, (junção da Sadia e Perdigão), JBS da Marca Friboi, Seara, Swift entre outras marcas de menor alcance nacional.
A empresa JBS afirmou em entrevista ao portal G1, que não tem conhecimento sobre mandado de prisão destinado a nenhum dos seus executivos e que não há operação da Policia Federal nas dependências da empresa. Já a BRF diz estar colaborando com as investigações e afirmou que cumpre de forma rigorosa todas as normas para produção e comercialização dos produtos que fabricam, tanto no Brasil como em outros países.
De acordo com o delegado responsável pela operação Carne Fraca esta é a maior operação já realizada pela PF no Brasil. A investigação vem acontecendo há cerca de 2 anos. Na apuração foi descoberto que frigoríficos envolvidos no esquema vendiam carne vencida tanto internamente como fora do país. As conversas ouvidas pela PF falavam sobre a mistura de papelão na carne moída, na linguiça e carne de frango.
As ligações ouvidas pela PF revelou também o uso de produtos químicos além da troca da data de validade dos produtos. O ácido era usado para maquiar a aparência de produtos vencidos e assim dar um aspecto de carne fresca.

[ads1]

A repercussão

A repercussão do envolvimento das grandes marcas conhecidas nacionalmente assim como algumas que são referencias em alguns estados como Paraná e Rio Grande do Sul, obrigou os frigoríficos a se justificarem como uma forma de amenizar o impacto negativo causado na imagem.

A BRF que está sendo investigada por comercializar produtos com salmonela, divulgou nota à imprensa reforçando seu comprometimento na qualidade e fabricação dos seu produtos, justificando que o produto entregue ao consumidor final é o mesmo que seus familiares consomem. A nota foi divulgada durante o intervalo da novela das 21h e em outros horários de maior audiência e também em outras emissoras de TV.

O grupo JBS, também se justificou afirmando que cumpre rigorosamente as normas de fabricação e comercialização dos e que preza pela qualidade e o compromisso com o consumidor. Assim como a BRF, o grupo divulgou nota nas principais emissoras de TV aberta.
Segundo especialistas mesmo com a justificativa das empresas dando um parecer aos consumidor, este tipo de ‘escândalo’ reflete de forma bastante negativa e os resultados são quase que automáticos, já que as ações destas empresas na bolsa caíram de forma considerável.

Número de admissão em fevereiro supera as demissões

Depois de 22 meses, em que o números de trabalhadores demitidos vinha superando as contrações, a economia do brasileira começou a gerar novas oportunidades de trabalho com registro em carteira. No mês passado (fevereiro) as contratações  superaram as demissões, o que resultou 35.612 novas vagas em todo o Brasil. Esta é a primeira vez que isso acontece em quase dois anos.
O resultado bastante comemorado pelo presidente Michel Temer. Temer fez questão de anunciar pessoalmente a boa notícia na última quinta-feira (16). Antes os dados eram apresentados somente pela internet por meio da página do Ministério do Trabalho.
No discurso Temer afirmou que os dados da empregabilidade brasileira são sinais da retomada do crescimento que estão ficando mais claros a cada dia. “Na verdade é um começo, mas isso (criação de vagas), depois de 22 meses de números negativos. É praticamente a primeira vez que temos um número positivo no tocante à abertura de empregos”, disse o presidente Michel Temer.
O presidente ressaltou que outras medidas, como por exemplo a queda dos juros e a liberação de saque de contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que irá injetar bilhões na economia, contribuirá para a movimentação mais ativa da economia do país.
Os números do emprego divulgados na quinta-feira (16), são baseados nas informações do CAGED ( Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Embora seja uma notícias bastante animadora para os mais de 10 milhões de desempregados brasileiros, deve se levar em consideração que, ainda foram demitidos mais de mil trabalhadores no mesmo período. Antes de fevereiro, março de 2015 foi o melhor mês de contratação.
Os resultados são positivos, porém vale ressaltar que estes dados representam uma melhora no cenário, considerando apenas os números de demissões e admissões com carteira assinada.
Também não se pode ignorar que desde março de 2015 a crise de desemprego no Brasil se agravou muito chegando a bater recorde. Nestes quase 2 anos o Brasil registrou o maior índice de desemprego da história, alcançando um total de 12,9 milhões de trabalhadores desempregados.

[ads2]

Se observarmos os números da geração de emprego nos meses de fevereiro, o mês passado foi o melhora em três anos.

Segundo Robaldo Nogueira, Ministro do Trabalho, os novos postos de trabalho gerados em fevereiro é resultado das diversas medidas adotadas pelo governo para recuperar a economia do país e que agora estão começando a fazer efeito visível à população. Para ele o mais importante é que esses dados positivos para economia surgiu mesmo antes dos saques do FGTS, o que mostra que um resultado não tem nada haver com o outro.

Os setores que mais admitiu?

Encabeçando a lista está o setor de serviços, que foi quem mais gerou novos empregos com carteira assinada no mês de fevereiro. Somente serviços admitiu 50.613pessoas, isso não acontecia desde agosto de 2016, resultando negativo que já vinha de anos anteriores.
Depois dos prestadores de serviço foi a administração pública que gerou 8.280 novas vagas, seguido da agropecuária com 6.201.Quem também aparece na lista das contrações é a indústria de transformação oferecendo 3.949 novas oportunidades.
No caminho inverso está o comércio que demitiu mais de 21 mil pessoas seguido da construção civil que fechou cerca de 12 mil postos desde que a crise economia se instalou no Brasil.

Deixe um comentário