Novo diretor da Chapecoense diz…

Novo diretor da Chapecoense diz: Muita gente tentou se aproveitar da tragédia

No comando da Chapecoense há 47 dias, o diretor de futebol Rui Costa, de 46 anos, contou em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, como encontrou o clube.

No comando da Chapecoense há 47 dias, o diretor de futebol Rui Costa, de 46 anos, contou em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo,

O diretor de futebol Rui Costa está no comando do clube Chapecoense desde do dia 09 de dezembro de 2016, 10 dias após a tragédia aérea que matou 75 pessoas em novembro passado. Ele que ficou conhecido pelo trabalho desenvolvido no Grêmio de Porto Alegre e foi escolhido para esta triste missão.

Desde sua chegada negociou uma média de 3 jogadores por semana, já no acidente o clube perdeu 19 deles. Hoje a equipe está com 23 jogadores e Rui falou de como encontrou a equipe em dezembro passado

Segundo o diretor encontrava pessoas sempre chorando, andando de cabeças baixas um clima de luto sem fim. Eram pais, amigos , esposas e filhos que transformava o cenário ainda mais desanimador. Na queda além dos jogadores o time perdeu médicos, treinadores, roupeiros de forma que ficava visível a tristeza nos outros funcionários.

A equipe possuía apenas 4 atletas e precisava cumprir o calendário. “Era um desafio pensar em futebol enquanto o drama dos parentes das vítimas continuava”, disse Rui.

O Recomeço

De acordo com o diretor o time precisou realizar neste ano algo parecido com o que foi feito em 2016, porém com um orçamento um pouco maior. Segundo apuração da Folha de S. Paulo o orçamento do clube para todo departamento de futebol está abaixo de R$ 3 milhões.

Rui relata que no início havia uma lista com 90 pessoas e depois baixou para 50 por fim chegaram em 37. Segundo ele todas as negociações foram realizadas com êxito e todos os jogadores foram escolhidos. “Todos os jogadores aqui foram escolhidos pela Chapecoense e não empurrados pelos outros times”.

O diretor diz que no momento da tragédia muitos clubes ofereceram jogadores, porém ele não abriu mão de escolher os jogadores, já que na oferta havia atletas que estavam sem poder jogar por afastamento médico ou com problemas de saúde.

Outro ponto foi a possibilidade de jogadores renomados irem jogar no time para ajudar, mas isso não aconteceu. Para Rui muita gente quis aparecer e ganhar dinheiro a custas da tragédia, sem falar que os ‘medalhões’ não poderiam jogar em um time que não conseguiria pagar os salários deles.

O novo diretor não quis dar nome, mas diz que pessoas ofereceram ajuda somente no “calor” momento, mas que estas ofertas nem se concretizaram. Por outro lado eles receberam ajuda de clubes como Cruzeiro, Atlético de Minas Gerais, Palmeiras e Atlético Nacional.

Deixe um comentário