Convulsão da Febre; Conheça mais sobre esse assunto

 

A convulsão da febre ou convulsão febril é um tipo de convulsão que apresenta sintomas como a perda momentânea da consciência da criança, pernas e braços trêmulos, olhos virados e dificuldade de respiração.

 

Em geral dura poucos minutos, mas para quem já passou por essa situação esse pouco tempo parece eterno. A convulsão acontece em crianças de meses e pode ocorrer até por volta dos 5 anos de idade, mas isto não é uma regra.

Ela ocorre quando existe um aumento rápido da temperatura do corpo (febre), provocado por algum tipo de infecção desenvolvida ou que está em fase desenvolvimento.

A convulsão febril é na verdade uma “proteção” do cérebro devido o aumento da temperatura num intervalo curto de tempo, o que é considerado pela medicina uma ação benigna para o paciente.

Embora não seja algo grave, os pais que já presenciaram os filhos neste estado, relatam que são minutos de verdadeiro desespero. Normalmente duram entre 10 e 15 minutos e não ocorre em menos de 24h do último episódio sendo consideradas simples.

Já as crises com duração acima de 15 minutos, que normalmente abalam parte do corpo, pode voltar acontecer em menos de 24h e são chamadas de complexa, podendo evoluir para um quadro mais grave.

O fato que faz com que a convulsão aconteça, tornando se um risco é a idade da criança entre 6 meses e 4 anos. É bastante raro acontecer fora deste período, porém vale ressaltar que casa haja histórico de crises na família é necessário ter uma atenção maior.

Como agira durante a crise de convulsão[ads1]

Embora seja uma tanto que impossível é preciso manter a calma para ajudar melhor a criança durante a crise convulsiva depois é seguir alguns procedimentos para que a mesma retorne ao normal

  • Deite a criança numa cama ou outra superfície qualquer desde que seja macia;
  • Vire a cabeça de lado, para ajudar na eliminação da saliva caso seja necessário;
  • Se possível marque o tempo da crise, pois será importante na consulta médica;

Com essas atitudes além de ajudar a criança , facilita para o médico identificar a gravidade da convulsão e tomar a melhor atitude para correção do problema.

Após a crise a criança fica sonolenta, mas aos poucos vai acordando e voltando ao normal, por isso é desnecessário tentar puxar a língua, além de ser um risco para quem tenta fazer.

Um fator importante é saber a temperatura do corpo no momento da crise, pois a convulsão sem febre e diferente e tratada de outra maneira. Outro alerta é que no momento da crise tentar baixar a temperatura com uso de remédio via oral pode agravar a situação.

Como proceder após a crise[ads2]

Passado o susto o ideal é buscar orientação de um pediatra, informar o que aconteceu e seguir as recomendações do especialista. Nem sempre será necessário realizar exames mais específicos como tomografias etc.

Nesta hora a atitude mas acertada a se tomar é relatar a crise com a medida da temperatura e tempo de duração e avalição clínica que identificará o motivo da febre.

Alguns exames como o eletroencefalograma (EEG), fezes, sangue e urina podem ser solicitados ou ainda o liquor para detectar se há meningite.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *